Felipe Rosa

Um tal Hugo Lapa e os dez anos do PT no Planalto

Essa semana um amigo do Facebook apresentou-me um texto[1] denominado “Porque eu Odeio o PT?”. Tratava-se de uma tentativa, diria eu, constrangedora de um tal Hugo Lapa em tentar, com ironias de gosto duvidoso, demonstrar as imensas conquistas do governo petista nesses últimos dez anos. Sim, eu sei, a internet é a terra de ninguém e dar atenção ao tal Hugo é uma demasia. Porém a questão não é esta e, sim, o “conteúdo” que o texto em questão carrega. Muito do exposto ali é pensamento dominante na sociedade brasileira do samba, futebol e praia. Portanto, farei uma tentativa desesperadora e vaga (pra responder no mesmo nível do autor) de esclarecer a mente ingênua do tal Hugo, mostrado o porquê eu também odeio o PT em uma visão um tanto distinta sobre os mesmos dez anos por ele “analisado”. “Muitas pessoas perguntam por que eu tenho tanto ódio do PT. Odeio mesmo, muito, essa corja do PT. Eis os motivos pelos quais eu odeio o PT:

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo o desemprego atingiu a menor taxa histórica, ficando em 4,6%. Quando o PT entrou no poder, o desemprego era de 13%. Em dez anos houve um aumento de 65% do emprego no Brasil, segundo o IBGE. Trata-se de uma das menores taxas de desemprego do mundo. Odeio pobre tendo emprego.

Não darei atenção à tentativa velada de dizer que os liberais não gostam que pobres se empreguem. Irei apenas aos fatos. Sim o emprego diminuiu, porém, a despeito do PT. O que garantiu boas taxas de emprego se dá pela soma da política fiscal expansionista amparada na política monetária também expansionista desses dez anos. Some a isso o efeito China (que já vem se arrefecendo) e a mudança de metodologia[2] do IBGE e temos um excelente indicador pro IBGE apresentar rapidamente. O que o nobre Hugo convenientemente esquece é de analisar o caráter desses empregos. A economia brasileira emprega em setores de baixa produtiva (basicamente serviços e funcionalismo público). Setores de alto valor agregado (industrial e de transformação estão desempregando[3]). Temos um Estado inchado que emprega e premia a ineficiência. Criamos uma geração “concurso público”. Até quando poderemos manter a ilusão – parafraseando Bastiat – de quem todos poderão viver as custas de todo mundo eu não sei. Apenas sei que fossem esses empregos produtivos o PIB não poderia estar patinando[4] como está e isso o ilustre Hugo preferiu não mencionar.

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo o salário mínimo atingiu seu maior poder de compra desde 1979. O salário mínimo que antes valia 70 dólares, hoje em dia vale mais de 300 dólares. O poder de compra do salário mínimo aumenta a cada ano. É um absurdo essa gentalha ter mais dinheiro. Eu gosto da Dona Florinda.

Aí está, chegamos ao salário mínimo. Se o nosso Hugo estudasse teoria econômica[5] entenderia que a política de salário mínimo pouco indica sobre o crescimento de um país. Na Argentina o salário mínimo[6] é o dobro do brasileiro (usando a deplorável cotação do peso argentino) e a situação vizinha não me parece ser um exemplo de política econômica saudável e/ou recomendável. Salário mínimo é decreto governamental. Não é mercado. Além disso, desemprega gerando informalidade. Será que o Hugo não se pergunta do porque o governo não aumenta para R$ 1000,00 o salário mínimo de uma vez? Pra que parcimônia Hugo? Sejamos felizes.

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles construíram 18 novas universidades federais, como a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) em Mossoró (RN), Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) Cruz das Almas (BA) e a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) Petrolina (PE), todas essas no nordeste. Isso implica em pobres terem mais acesso ao ensino superior gratuito de qualidade. Um absurdo!

Não entrarei no mérito da qualidade duvidosa do nosso ensino superior, essencialmente, nessas novas universidades criadas as pressas através do Reuni. O ensino superior evoluiu sem dúvida. Porém não de graça. Ele custa. E custa caro. Manter tudo isso não é nem um pouco barato e muito do que se pôde avançar atrela-se ao enorme endividamento fiscal[7] que esse governo realizou. A questão é, até quando poderemos manter tal política com taxas de produtividade e crescimento tão irrisórias? Isso o Hugo preferiu ignorar. Como também ignorou, convenientemente, o total abandono do ensino de base por parte do governo federal. Será que esse rapaz sabe em que ensino os países ricos investiram pesado antes de se desenvolver. Melhor nem comentar né Hugo? Projeto de educação no longo prazo pra que, não é mesmo? Isso é coisa de neoliberal!

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles criaram o Prouni que já ofereceu 1,2 milhão de bolsas para estudantes pobres em universidades privadas, sendo 69% dessas bolsas são integrais e os alunos não pagam nada para cursar o ensino superior. Agora eu tenho que ficar dividindo a minha faculdade privada com esse pessoal de baixa renda. Imagine que o filho da minha ex-empregada estuda comigo lá. Vê se pode isso!

Nossa que ironia fina não? Bom, quanto ao Prouni o hilário Hugo teria que explicar o porquê do governo não usar tal verba para justamente incentivar o que no parágrafo acima ele tanto prezou – o ensino superior público e “de graça”. Por que gastar com as capitalistas instituições privadas de ensino? Incentivemos as públicas. Teríamos universidades líderes em pesquisa e inovação não é mesmo? Pela lógica do Hugo e só por dinheiro – público de preferência – e logo, teremos Nobeis pipocando por aí, assim como em Chicago, MIT ou Cambridge e Harvard, por que não?

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles criaram 214 escolas técnicas, enquanto em toda a história do Brasil foram criadas 140 escolas técnicas. Bom mesmo era no governo anterior que não criou nenhuma escola técnica e ainda foi votada uma lei que impedia o surgimento de novas escolas técnicas. E esses petistas malditos ainda triplicaram os investimentos em educação nesses dez anos, e tiveram a ousadia de aprovar 75% do fundo social do pré-sal para a educação. Tem que trucidar esses petistas!

Palmas ao PT! Jamais discutirei o fomento das escolas técnicas. Agora fomentar ensino técnico e fazer a indústria patinar[8] ao menos no meu mundo é um contrassenso. Ou de repente o nobre Hugo não se importaria de ver técnicos em informática ou engenharia trabalhando no setor de serviços como ocorre em Cuba, em que, engenheiros ganham mais trabalhando de taxista[9] do que na pujante indústria civil cubana.

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles baixaram a conta de luz de todos os brasileiros, em 18% para residências e em até 32% para indústrias. Graças a esse absurdo, hoje o Brasil possui a quarta menor tarifa de energia elétrica do mundo. Ai que ódio!

Até quando Hugo? Porque até onde eu sei a situação da Eletrobrás[10] não é das melhores. É a visão petista. As favas a gestão administrativa. Luz pra todos, preferencialmente “de graça”. Assim como a saúde, a educação e a gasolina (ops, essa última tá um pouco cara né?).

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles criaram uma maldição chamada Bolsa Família. Esse programa atende quase 15 milhões de famílias e hoje são mais de 50 milhões de pessoas beneficiadas com a transferência de valores entre R$70,00 e R$300,00 mensais. Esse programa diminuiu a mortalidade infantil, ampliou a alimentação do povo e ajudou a colocar os filhos dos pobres na escola. Fiquei ainda mais bravo em saber que 75% dos beneficiários do programa trabalham e que cada 1 real transferido ao Bolsa Família acrescenta R$1,78 à economia do país, segundo pesquisa. Além disso, mais de 1,7 milhão de pessoas (12% do total) já deixaram o benefício voluntariamente por terem uma melhora em sua renda e desejarem que outras famílias tenham direito ao programa. Eita povinho chato esse brasileiro! E para completar, o Bolsa Família reduziu a miséria em 28% só em 2012. Que ódio desse PT!

O Bolsa Família apenas restitui, em parte, o que já é espoliado via imposto regressivo do brasileiro durante cinco meses do ano. Nem vou entrar nos inúmeros casos[11] de falha do programa, tampouco, incorrer em uma análise holista de que o mesmo gera indolência individual ao trabalho. O fato é que com uma carga tributária chegando em quase 40% do PIB[12] qualquer governo com o mínimo de decência e hombridade não consideraria um grande mérito transferir renda de uma para outro e, sim uma obrigação moral. Ou seja, restituir aqueles a quem realmente o dinheiro pertence – as pessoas.

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles criaram o Programa Mais Médicos, que já trouxe mais de 6 mil médicos estrangeiros para atenderem a população pobre do Brasil que antes não tinha acesso a atendimento médico. Até abril de 2014 serão 13 mil médicos estrangeiros no Brasil, o que dará um cobertura médica a 46 milhões de pessoas pobres que moram nos rincões mais distantes do país. Agora a Dilma fala que pode trazer ainda mais médicos além dos 13 mil que estão chegando. E esse desgraçado desse PT ainda aumenta a verba da saúde de R$33 bilhões para R$100 bilhões, além de dobrar o número de vagas para médicos em universidades públicas. Estão certos os médicos brasileiros! Esse negócio de sair do conforto das grandes cidades para ir aos lugares pobres do país é coisa de médico cubano!

Ao contrário desse totalitarismo do Hugo e do PT que gostam de prescrever onde as pessoas devem trabalhar. Eu prefiro prezar pela autonomia individual. Que cada um trabalhe onde achar melhor sem juízos de valor. Eu só queria entender como depois de dez anos um governo que avançou tanto no ensino superior (afirmado pelo próprio Hugo acima) não conseguiu desenvolver mão de obra suficiente em uma área tão importante como a saúde? Mas é claro que isso não passa de uma especulação minha, não é mesmo? O ensino superior está ótimo sim. A Dilma falou, então, temos que acreditar!

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles diminuíram a pobreza do Brasil. Somente no governo Lula a pobreza diminuiu em 50,6% de junho de 2003 a dezembro de 2010, segundo a FGV (Fundação Getulio Vargas). Agora o pobre aumentou seu poder de compra, pode andar de carro e de avião, e eu tenho que ficar dividindo o assento do meu voo com o zé povinho farofeiro.

Será que aumentou? Às vezes pra essa turma só desenhando mesmo. O salário real das famílias está praticamente estagnado desde 2002[13] (não confunda com o nominal tá?). Ou seja, se as famílias estão andando de carro é porque a expansão monetária permitiu maiores linhas de financiamento (metade disso concentrado em bancos públicos bem como prescrevia Marx no Manifesto Comunista). E se voar já não é privilégio dos ricos temos que dar crédito ao governo anterior que liberou as tarifas aéreas. O setor experimentou algo chamado concorrência. Junta-se a isso o aumento do crédito disponível (em função da expansão monetária já citada) e, pasme Hugo, criamos um verdadeiro e genuíno mercado de aviação (sem entrar no mérito da sustentabilidade dessa política artificial de crédito). Os preços começaram a ser genuinamente definidos pelos processos de mercado e a eficiência atingiu o setor. É o livre mercado quando não atrapalhado chegando lá – nos mais pobres. A principal ineficiência no setor que, coincidentemente (ou não), você esqueceu de mencionar ocorre justamente onde o governo administra – os aeroportos. Será que foi por isso que a Dilma concedeu alguns à iniciativa privada? Melhor ficar quieto nessa parte né Hugo? Lembra, a tua turma é contra as privatizações, fica meio contraditório sabe?

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo a desigualdade caiu ao menor nível de toda a história documentada, segundo o IPEA. O índice de Gini, que mede a desigualdade, foi de 0,527, o menor desde 1960. Por isso que tem tanto pobre passando a consumir mais e com uma vida melhor, que saco! Mal dá para andar no shopping em paz!

Consumo a que custo? E mais, por que com o desemprego tão baixo e a melhor distribuição de renda a economia patina a três anos? Alguma coisa nessa tua conta não fecha Hugo? Desculpa, é que apenas apresentar números é pouco pra mim, preciso de um pouco mais meu caro. Eu suponho, apenas suponho, que a baixa taxa de poupança interna das famílias e a insipiente produtividade da economia brasileira não estão acompanhando o ritmo do gasto público do governo que você, assim como eu, tanto odeia. Seria isso Hugo?

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles criaram o Luz para Todos. Um programa nacional que investiu pesado em estruturas elétricas para populações de baixa renda, levando eletricidade para mais de 15 milhões de pessoas. Hoje em dia quase não existem mais brasileiros sem acesso à energia. Esse programa ajudou as populações que moram nos locais mais distantes e pobres do país a usar a energia elétrica para eletrodomésticos, para aumentar a produção do seu trabalho e outras utilidades. E o que me interessa se pobre lá longe tem luz? O lampião não funcionava direitinho?

O lampião acho que funcionava direitinho, agora a luz do governo[14]… hum, sei não.

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles criaram o Pronatec, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, que ampliou a oferta de cursos profissionalizantes no país para pessoas pobres. Até hoje o Pronatec está levando cursos profissionalizantes gratuitos a cerca de 700 mil pessoas de baixa renda, e são estimadas 1 milhão de vagas preenchidas em cursos até dezembro de 2014. É de deixar qualquer burguês com raiva!

Por que deixaria burguês com raiva Hugo? Com mais pessoas capacitadas, mais facilidade pra contratar. Mais oferta de mão de obra acarreta em salários mais baixos. Acho que qualquer burguês (vou aceitar esse rótulo nojento que Marx cunhou para acirrar a dicotomia de classes) gostaria de pagar menos pela mão de obra. Se nem ironia você consegue fazer direito o que dirá de uma análise econômica apurada, não é mesmo? Superestimei tua capacidade Hugo.

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles criaram o Minha Casa, Minha Vida, um programa social que já contratou mais de 3 milhões de casas para pessoas de baixa renda poderem morar. Dessas 3 milhões, mais de 1,4 milhão de moradias já foram entregues para os pobres. Não satisfeito, o PT criou o Minha Casa Melhor, que permite os pobres beneficiários do Minha Casa Minha Vida comprarem móveis e eletrodomésticos para sua nova casa com um cartão dado pelo governo, com juros mínimos e prazos longos. Não é uma sacanagem isso?

O governo dá coisas é? Achei que ele apenas tomasse de um para “dar” a outro. Além disso, conceder empréstimos de longo prazo com juros subsidiados sem poupança interna, sei não, me parece um tanto temerário. Sabe como é, existe uma tal de lei da escassez que de certa forma complica a sustentabilidade desse modelo que você tanto preza. Ou seja, a não ser que o governo iluminado do PT tenha conseguido romper a lei da escassez (essa chata) eu prevejo endividamento das famílias[15] e inflação de preços no setor (pra não falar em bolha).

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles criaram o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). O PAC já investiu o montante de R$665 bilhões em obras de infraestrutura no Brasil, fazendo do Brasil um dos países que mais possuem obras em andamento do mundo. O PAC gerou um grande número de empregos no país, e esse foi um dos fatores da diminuição do desemprego. O volume de investimentos do PAC também provocou efeitos positivos na economia, ajudando no crescimento e desenvolvimento do país, além de permitir a construção de obras importantíssimas em várias áreas diferentes. Não é de se ranger os dentes?

Ah é, sem dúvida. De ranger os dentes com tamanho proselitismo. Afora as questões de ineficiência alocativa e desvios de recursos[16] que fazem qualquer brasileiro normal ranger os dentes e morder a língua de raiva. É o velho desenvolvimentismo jurássico dos anos 40 voltando galopante no moderno, inovador e revolucionário governo petista.

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles conseguiram controlar a inflação mais do que o governo anterior. A inflação média nos 8 anos de governo FHC foi de 9,1%, enquanto a inflação média dos 8 anos de governo Lula foram de 5,7%. A Dilma ainda completou esse quadro com a desoneração total dos produtos da cesta básica. Não quero nem falar mais disso!

Enfim ela apareceu claramente, sem véus ou eufemismos. A velha desonestidade intelectual petista. Comparar inflação de preços em um governo com sérios problemas conjunturais no âmbito macroeconômico com um que, por seis anos, deveria ter feitos reformas e domado os preços é de uma imoralidade que só petista consegue realizar. A grande verdade é que, após a estabilização cambial da megadesvalorização de 1999, qualquer governo que pretendesse ser austero e responsável com as próximas gerações poderia ter gerado deflação de preços – auxiliando os mais pobres. O governo tucano não quis fazer e o petista sequer sabe o que é isso. Aumentar gastos e fazer o populismo que conquista os corações e mentes dos “hugos da vida” é algo que o PT sabe fazer como ninguém. As favas a austeridade, pra que né?

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles conseguiram acumular um montante de US$378 bilhões de reservas internacionais. No governo anterior o Brasil tinha apenas US$37,8 bilhões de reservas, o que tornava o país mais vulnerável a crises internacionais. Ou seja, em dez anos o PT aumentou em dez vezes as reservas internacionais do Brasil. Isso melhora a visão de investidores externos e aumenta a confiança no país. Eu preferia quando o FMI ditava nossa política econômica!

Como eu disse aqui o nobre Hugo já se libertou dos véus e a desonestidade intelectual se apresenta claramente. Mas eu o entendo. No mínimo ele pensou que apenas chegariam nessa altura do seu “artigo” aqueles que concordassem com as imensas bobagens e generalizações que ele fizera, então, por que ficar escondendo as velhas táticas imorais de todo petista convicto, não é mesmo? O fato é que a conjuntura internacional auxiliou (e muito) o volume de reservas internacionais. O governo petista obteve por seis anos seguidos (isso é quase todo o período do governo FHC) a maior entrada de recursos externos advindos do efeito China. E de alguma forma o sábio Hugo pretende se vangloriar dos níveis de reservas internacionais do governo petista. Era o mínimo que a equipe econômica deveria fazer. Além disso, em mais de 70% do governo FHC a política cambial foi fixa (ou semi-fixa com pequenas desvalorizações cambiais feitas até 1999), ou seja, isso gera uma demanda maior por reservas internacionais, essencialmente, em um cenário de crises internacionais recorrentes. Só um perfeito e desonesto petista consegue comparar os níveis de reserva internacional com cenários externos e políticas cambiais tão distintas entre os dois governos.

Eu odeio o PT porque em dez anos de governo eles criaram o projeto Farmácia Popular, em 2004, que vende mais de 100 medicamentos a preço de custo para populações de baixa renda. Existem quase 600 unidades de Farmácias Populares no Brasil onde os medicamentos são vendidos a até 10% do valor do medicamento nas farmácias normais. Por exemplo, se um medicamento custa R$100,00 ele pode ser vendido a até R$10,00 numa farmácia popular. Medicamentos mais baratos para os pobres me deixa bem irritado!

Encerramento melhor impossível. Esse governo tem a maior carga tributária[17] do mundo sobre medicamentos, mas de alguma forma o paladino defensor do governo petista Hugo Lapa quer nos convencer de que este governo deseja realmente vender (ou dar) remédio barato para os mais pobres. Quisesse isso meu caro, o governo que você (assim como eu) tanto odeia desoneraria os remédios e não ficaria fazendo populismo pra conquistar mentes ingênuas como a sua.

Eu também me irrito Hugo, mas acima de tudo com aqueles que pensam poder subestimar a inteligência do leitor e, nisso meu caro, você foi mestre. Não lhe culpo. Você apenas aprendeu com os melhores professores nesse ramo da enganação – os petistas. Boa sorte meu caro, o futuro te reserva muitas surpresas e decepções.

_________________

Felipe Rosa é mestrando do Programa de Pós-Graduação em Economia e Desenvolvimento (PPGE&D) da UFSM. Escreve todas as quintas para o site do Clube Farroupilha.

As informações, alegações e opiniões emitidas no site do Clube Farroupilha vinculam-se tão somente a seus autores.


[2] Ver a mudança de metodologia do IBGE e o verdadeiro cálculo do desemprego aqui: http://mises.org.br/Article.aspx?id=1471

[13] Ver a série do IBGE postada nesse excelente artigo do Leandro Roque para o IMB: http://mises.org.br/Article.aspx?id=1441

Categorias:Felipe Rosa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s